Noticias

Os bastidores e a preparação de Sandy para seu segundo show em São Paulo

O sorriso no rosto é radiante. Ela ouve a movimentação do público, aquele burburinho tradicional que se escuta do palco, atrás da cortina. E pede uma oração, com a banda de cinco elementos.

Sandy, 27 anos, agora está mais tranquila. É o segundo show e foram quatro horas que CONTIGO! ficou ao lado da cantora em sua apresentação no Citibank Hall, na sexta-feira (26), em São Paulo.

”Hoje estou com o humor mais para fora, resolvi colocar um verdão”, diz Sandy sobre a sombra que passou nos olhos, em um delicado processo de maquiagem que ela mesma faz. Por quê? Desde criança, quando era maquiada, nos programas de TV, enchiam seu rosto de produtos. Ela não gostava, claro, e tomou uma atitude.

  • Hora de comer!

É a estreia da turnê Manuscrito, segundo show, e até a mãe, Noely, 50, percebe que a filha está mais confiante. Sandy é pontual, não admite atrasos e por isso chega horas e horas antes do show. É atenciosa, cumprimenta a todos.

A passagem de som (um ensaio para ver se tudo está no lugar) é rápida, meia hora, e Sandy já segue para seu camarim. Hora da refeição leve. Na mesa há frutas, salgadinhos, refrigerantes, barrinhas de cereal, chocolate.

Tem uma massa ao sugo, mas ela escolhe uma omelete e uma salada de alface com palmito. Vinte fãs aparecem, organizadamente, e Sandy os atende, mas fora do camarim. Ela volta para decidir o figurino.

Pronto, hora de enfrentar o público. ”Obrigada, pessoal. Muita força e energia para levar um show lindo para essas pessoas”, ela diz aos músicos de sua banda, Eloá Gonçalves, Adelino Costa, Maurício Caruso, Alex Heinrich, André Caccia Bava. Já se ouve o coro atrás das cortinas: ”Sandy, eu te amo!”.

  • Acupuntura e florais

”Fico arrepiada dos pés à cabeça o tempo todo”. São três anos longe dos palcos e a volta foi em Curitiba, dia 19. No retorno, ela até sonhou que estava no palco. Teve de fazer acupuntura e sementinha na orelha para se acalmar. Nem malhou naquela sexta-feira – ela não perde um dia de treinamento. Tomou florais e, enfim, dormiu.

No palco, chorou, não cantou logo de cara e até desafinou, mas tudo bem. ”Não consegui cantar. Quando minha voz voltou, desafinei. Foi difícil”. A movimentação no ambiente do backstage faz lembrar que é uma nova vida de Sandy.

”Essa coisa de ficar longe de casa eu não sentia falta, não. Adoro minha casa, estar no meu cantinho, com meu marido, sinto falta dele”, diz a cantora sobre o marido, Lucas Lima, 28, que não foi ao show por causa de sua própria turnê com a Família Lima.

  • Desencontros de casal

Agora é assim, se separam bem mais, cada um com sua carreira. E a casa fica lá, parece que o dia rende menos, ela diz. ”Começaram também os desencontros. Quando ele viajava, ao voltar eu estava lá. Agora nos vimos na quinta de manhã e vou ficar até segunda sem vê-lo. Quando eu voltar, ele é que vai. Então só vamos ficar juntos na noite de segunda. Dessa parte da carreira eu não estava com saudade, não. Mas faz parte, essa vida meio retirante que a gente tem”, conta.

Não foi feito um trato entre o casal, mas Sandy procura preservar momentos. ”Às vezes eu estou em casa e ele está trabalhando, mas de noite ele volta, a gente se encontra e dá tudo certo. É uma loucura, porém estou aprendendo a encaixar a vida de casada e o palco. Muda um pouco, tenho de dar conta de mais coisas ao mesmo tempo, é só um pouquinho mais intenso”.

No meio da maquiagem, de papo com a banda, da escolha de saias na arara, vem uma revelação. Mesmo na correria de uma turnê, certas vontades começam a surgir. O relógio da maternidade parece estar apitando: ”Essa coisa de ser mãe já tinha despertado em mim antes de eu casar. Sempre quis ser mãe. Vontade eu tenho. E realmente está aumentando. Vejo minhas amigas, já casadas e grávidas. Sei que está chegando meu momento, alguma hora vai rolar”.

  • Louboutin e escapulário

Sandy tem duas opções de roupa, de oito looks, para escolher por show. Muitas peças são acervo pessoal, embora haja saias Fause Haten, entre outros. Os destaques são os sapatos Christian Louboutin, três naquela noite no Citibank Hall.

É um visual mais romântico, mas nada de lingeries aparecendo muito. ”Tem um figurino que uso uma lingerizinha verde, que vai por baixo de uma camiseta que é verdinha também. Mas não é uma escolha especial.” Único é o escapulário que ganhou da mãe há 11 anos e usa como proteção, apesar de não acreditar muito em imagens.

  • Olhos e cabelo

O ar-condicionado não estabilizava e o cabelo de Sandy ficava ”elétrico”. ”Gente, ele não quer parar!”, brincou a cantora, depois de quase uma hora se maquiando. Ela escolhe a cor da sombra nos olhos de acordo com seu humor no dia.

Para Sandy os olhos são mais importantes na hora de destacar – até mesmo que a boca. ”Eu adorava ver minha mãe se maquiar. E tive de aprender na prática”, diz, citando as péssimas experiências quando criança, ao exagerarem na quantidade de produtos que colocavam nela nas apresentações em programas de TV. Claro, alguns maquiadores ensinaram pequenos truques para Sandy.

  • Repertório eclético

Foram dois shows lotados em São Paulo para a estreia de Manuscrito. ”Que saudade eu estava disso tudo!”, disse emocionada para os fãs, já no palco decorado como um quarto fictício de Sandy.

Em uma hora e meia de show, Sandy canta todo o repertório do CD, duas músicas da parceria com Junior, Quando Você Passa e Estranho Jeito de Amar, além de mais algumas canções de outros cantores, como Beija Eu, de Marisa Monte, Hoje Eu Quero Sair Só, de Lenine, Wonderwall, do Oasis, e Casa, de Lulu Branco.

Ela toca percussão e se assusta um pouco ao sentar ao piano. ”Ainda sou uma aprendiz”, diz Sandy.

Clique Aqui e Confira Fotos desse Encontro!

  • Contigo – Adapt: SLBR